Cristãos são presos na Índia por cantarem músicas de Natal
19/12/2017
Exército israelense ajuda missionários na Síria
24/12/2017

Você já percebeu que o estilo de ensino de Jesus era bem diferente dos estudos bíblicos contemporâneos? Ainda assim, a forma como Jesus entendia e desdobrava as escrituras são completamente relevantes hoje. Mais que isso, seu estilo de comunicação rabínica, composto por quatro níveis, é essencial para engajar cristãos e não cristãos.
Transferindo os quadro níveis de estudo em um formato moderno, o Diretor Global do Pais, Paul Gibbs, desenvolveu o que é hoje conhecido como Devocionais Haverim. Essa nova forma de estudo está sendo utilizada por pequenos grupos por todo o mundo, conectando pessoas com Deus e sua Palavra e ajudando-as a compartilhar com outros.

Escurecer

Por que existem tantas igrejas pós modernas produzindo tantos cristãos pré reformados? Antes da reforma protestante, quando a igreja organizada e reconhecida era apenas a Católica Apostólica Romana, era proibido haver Bíblias escritas em outros idiomas que não fossem o latim. As pessoas de Deus tinham que confiar completamente nos profissionais religiosos da época. Eles não poderiam fazê-lo por si só. Não podiam questionar as interpretações. Nos dias de hoje, poderíamos até acreditar só existem Bíblias escritas em latim mais uma vez.

Poucos a estudam, menos ainda são os que passam adiante. Tomamos para nós as interpretações dos líderes que idolatramos. As vezes sabemos mais das palavras do Roberto, do Ricardo, do Sérgio e do Augusto do que das palavras de Mateus, Marcos, Lucas e João.

Podemos não viver mais no período das “trevas”, mas quando se trata de entender a Palavra de Deus, vivemos dias de grande ignorância. A era das limitações aceitáveis. Vivemos na “era do escurecer“.

Cultura

Precisamos, portanto, ir além do currículo para a cultura. Se realmente acreditarmos que Deus irá mudar nosso mundo usando nossas igrejas para isso, agora é a hora de construirmos igrejas grandes, atrativas e relevantes com o entendimento de estudo Dele em mente.

O inventor James Dyson disse que reinvenção requer uma raiva apaixonada sobre algo que não funciona. E algo não está funcionando, não é? Não me refiro a simplesmente convidarmos pessoas para verem uma apresentação de um estudo bíblico no telão. Essa ideia é incompleta, transviada e perigosa.

Pode fazer as igrejas crescerem, mas será que faz o Reino Dele crescer? Na maioria das igrejas, apenas os membros regulares frequentam os estudos Bíblicos e raramente eles promovem algum método de estudo capaz de ser facilmente reproduzido em outras formas, passagens ou tópicos. Normalmente as classes bíblicas ensinam o que pensar e não como pensar.

Temos o compromisso de trazer as pessoas para a mesma página para que saibam da verdade absoluta. O problema com grande parte do currículo é que nos leva a buscarmos respostas e não a Deus. E com isso eu quero dizer a resposta ou quem nos leve a ela. Quando descobrimos a resposta, ficamos entediados rapidamente. A palavra de Deus se torna cliché: algo profundo, mas enfraquecido pelas repetições constantes e as mesmas explicações superficiais.

Perde-se a vitalidade. Perde-se a surpresa. O problema mais profundo é que esse método de estudo não capacita para compartilhar as verdades com outras pessoas. Não é flexível, criativo e é ultrapassado. Vivemos em um mundo novo, com novas oportunidades e com uma necessidade de uma nova forma de compartilhar o Evangelho.

Enquanto escrevo esse artigo, estou sentado numa mesa de um Starbucks local. Um cavalheiro mais velho e bem vestido senta-se perto de mim. Ele coloca um guardanapo de papel no colarinho para evitar que se suje enquanto come um sanduíche de peru com queijo. Fico pensando como começar uma conversa com ele.

Se eu conseguir falar com ele e ele demonstrar interesse em descobrir sobre a fé em Jesus, eu sei que agora tenho um novo meio de compartilhar com ele; um método que aborda a Bíblia da forma como deve ser abordada; uma forma que irá apresentar questões e não somente respostas; uma forma que irá guiá-lo por uma jornada de várias faces até que ele descubra por ele mesmo a fé em Jesus.

Enquanto isso também penso como outros seguidores de Jesus se sentiriam na minha posição agora. Será que eles teriam até mesmo interesse em começar a conversa ou eles a evitariam porque não fazem ideia de como desdobrar a escritura com o próximo? O espírito está disposto mas o treino está fraco? Penso que talvez sim…

O PAIS MOVEMENT

O Pais foi fundado por Paul Gibbs em 1992. Nós criamos parcerias com escolas, projetos de comunidades e igrejas e agimos como um catalisador para ajudar a capacitar os jovens. Depois da primeira equipe em Manchester, o Pais Project lançou equipes por todo o Reino Unido e, posteriormente, no exterior. A primeira equipe fora da Europa foi criada nos Estados Unidos em 2002. Ao longo dos anos, o Pais foi crescendo e agora está presente em 6 continentes diferentes. Em 2005 Paul Gibbs se mudou para os Estados Unidos, onde fundou o ‘Pais Global’, um grupo de apoio que supervisiona o Pais em cada nação providenciando visão, direção, apoio e muitas outras formas de treinamento prático.

Clique aqui e faça contato direto com o PAIS Brasil